ESPAÇO AMOREIRAS


Contrariando a imagem criada pela justaposição de diferentes frentes de loja que caracterizava o antigo Centro Comercial 7ª Avenida a proposta para a sua reconversão em Centro Empresarial resulta da procura de uma imagem de fachadas interiores unificada, independente do utilizador de cada escritório, fazendo valer sobre a diversidade de empresas uma imagem de conjunto.

Procurou-se trazer para os interiores um linguagem de espaço urbano - a criação de planos de fachada nos limites do espaço central formalizou-o como Praça, atribuindo-lhe um carácter agregador e de confluência de todos os que utilizam este espaço.

A disposição dos objectos que complementam esta Praça Central permitiu criar em si zonas de maior conví­vio ou privacidade, situações comuns a todos os espaços urbanos.

A utilização do vidro como material principal nas fachadas interiores apareceu como resposta imediata uma vez que era condição fundamental que os espaços interiorizados dos escritórios fruí­ssem da iluminação natural de que beneficia o espaço central através das grandes clarabóias centrais.

Uma pesquisa aturada permitiu encontrar uma solução de vidro que não só respondesse a diversas questões técnicas mas que também garantisse alguma privacidade aos espaços de trabalho. As variações de cor e tons dos vidros transparentes em contraponto com as superfí­cies de vidro opaco pretas e o uso de alcatifa nos espaços comuns resultaram num ambiente diferenciado.

Dados tecnicos:.
Arquitectura de interiores
Lisboa
2008 - 2011
Ana Costa, Mafalda Lacerda

CLIENT: The Edge Group

PHOTOGRAPHS: FG + SG