THE EDGE GROUP

Ocupando um dos escritórios menos favoráveis do Espaço Amoreiras e com um orçamento reduzido o desafio colocado pelo "The Edge Group" pedia um espaço com a sofisticação impressa ao Centro Empresarial de que foram promotores.

O desenho do tecto, que em onda se desenvolve em planos inclinados paralelos à  fachada, permitiu não apenas camuflar toda a parafernÁlia das instalações têcnicas e ter um sistema de divisórias mais baixas - o que se reflectiu em menor custo de obra, como manter o princípio de um pé-direito generoso.

A proposta de compensar a iluminação geral, não existente neste sistema de tectos, com iluminação indirecta permite uma maior e mais variada difusão da luz. De modo a que os níveis de luminosidade possam ser adaptados e controlados individualmente por cada ocupante do espaço a iluminação geral ê reforçada por pontos de luz junto a cada posto de trabalho.

O desenho do pavimento reforça a separação de usos no espaço. As listas brancas e pretas que percorrem o espaço no sentido do comprimento remetem para referências dos percursos urbanos, acentuando os locais exclusivamente destinados a circulação.

A diferenciação de cor da alcatifa entre os espaços de trabalho comuns e os privativos permitiu, mantendo uma cor mais escura na maior parte do espaço, optar por uma cor mais clara e luminosa para os espaços que têm apenas iluminação artificial, solução que estendida a todo o espaço se reflectiria numa sobrecarga no custo de manutenção dos espaços.

Esta diferença de cor nos pavimentos reflecte-se tambêm na escolha da cor do mobiliário, alternando entre branco e preto, em oposição à  cor da alcatifa do espaço em que estão colocados.

Dados técnicos:.
projecto: arquitetura de interiores

Localização: Lisboa

Datas: 2011

Arquitectura: Ana Monteiro da Costa

Colaboradores: Catarina Cabral, Mafalda Lacerda

Cliente: The Edge Group

Fotografia: FG + SG

THE EDGE GROUP